Jesus viveu uma gangorra quanto à sua popularidade. Ora estava lá em cima, com altos índices de aprovação, ora lá embaixo, com o mesmo pessoal que o aplaudia agora querendo sua morte.

O ditado popular é verdadeiro: “nem Jesus agradou a todos”. Aliás, Jesus agradou a poucos. A maioria o rejeitou, quis matá-lo, quis eliminá-lo. Enquanto ele era útil, enquanto curava, multiplicava pães, transformava água em vinho, enquanto era pregadorzinho inexpressivo, estava bom. Quando começou a mexer com a estrutura do poder da época, quando começou a levar o povo a questionar os donos da religião de sua época, quando convidou o povo a se livrar daquele jugo opressor e assumir o seu jugo que era suave e leve, então passou a ser uma ameaça.

O populacho era volúvel quanto ao que pensava sobre Jesus, ora aprovando, ora rejeitando. Quem sempre o rejeitou mesmo foram os religiosos, os fariseus, os mestres da lei, os donos da religião, que também manipulavam o povo. João Batista não jejuava, vivia em simplicidade e aqueles tais diziam que ele era endemoninhado. Jesus comia e bebia e o chamaram de comilão, beberrão e amigo de pecadores. Nada satisfazia a sanha daquele pessoal.

As coisas não são muito diferentes nos dias de hoje. Tentar agradar a todos é impossível e escravizante. As pessoas nunca ficarão satisfeitas. Nunca. Você pode dar o seu melhor, fazer o maior esforço, sempre haverá quem reclame, quem reprove, quem condene, sempre.

Você faz uma festa de aniversário simples e reclamam: “não tem dinheiro pra dar uma festona, não faça nada”. Se faz uma festa de arromba, dizem: “que desperdício de dinheiro, quanta ostentação!”.

Se seu filho é muito peralta reclamam: “ah eles não sabem educar filhos, não colocam limites”. Se seu filho é muito educado, muito quieto: “Ah, eles não sabem educar filhos, não estimulam essa criança, colocam limites demais”.

Se você vive casmurro, reclamam que você não tem alegria de viver. Se vive alegre, reclamam que você não leva os problemas da vida a sério.

Se a pessoa frequenta uma igreja muita rígida, ela não serve porque é muito rígida. Daí muda-se para uma igreja que prega a liberdade, então não serve porque é muito “liberal”.

Desista! Você nunca vai conseguir agradar a todos.

Se isso é impossível, o que fazer, então? Faça o bem assim mesmo. Aja de maneira correta assim mesmo. E por quê? Porque essa é a prova do nosso compromisso e nosso amor ao próximo.

Vai fazer algo e tem medo de desagradar a opinião alheia? Que seja algo bom e correto e que seja feito por fé, ou seja, que você acredite que é algo bom e correto. Faça as coisas que você acredita certas não para obter aprovação de ninguém, mas porque é certo. E se falarem mal, tudo bem, conquanto que você saiba que está fazendo o que é certo, o que é correto, o que é bom.

Márcio Rosa da Silva

Anúncios