Márcio Rosa da Silva

Uma questão que inquieta a maioria das pessoas é se existe vida após a morte. Daí o medo que muitos de nós tem de morrer. Mas cresce o número de pessoas que tem medo da vida, medo de viver e enfrentar as imposições da vida. Também é grande a quantidade de pessoas que estão cansadas da vida. Parece que a vida contemporânea nos deixa mais cansados. Tudo é feito para que tenhamos mais conforto, mas o conjunto todo nos cansa mais. São muitas necessidades que nos são impostas e para conseguir supri-las temos muito a fazer. Isso cansa.

A religião dá muita ênfase ao pós-morte, mas tem muita gente que precisa saber que há vida antes da morte. Há quem não consiga lidar com a própria vida e acaba se suicidando. Ainda bem que a maioria das pessoas que são dominadas por esse cansaço da vida não chega a tal ato de loucura, mas desiste de viver mesmo não se matando. Vivem os dias de modo enfadonho e sem esperança alguma, sem contentamento algum, desistem da vida. Vêem seus dias passarem um após outro sem nada que os anime a viver, nem nada que lhes dê sentido e ânimo.

Geralmente é gente que já se decepcionou muito, ou que se frustrou demais. Ou que não tenha conseguido atender as expectativas que são impostas pelos outros. Isso tudo gera um cansaço na vida de qualquer um. Casais que querem casamentos perfeitos e quando perceber que casamentos perfeitos não existem se frustram. Até porque casamento inclui responsabilidades a cumprir e muito desejo de dar certo, muito esforço para construir um relacionamento duradouro. Entrar num casamento cheio de falsas expectativas é letal. Há ainda aquelas pessoas que entram na igreja achando que entraram no céu e querem que as pessoas sejam perfeitas. Mas nenhuma pessoa é perfeita, então se cansam. Não tem paciência para lidar com as imperfeições dos outros e as suas próprias. Então se cansam da igreja e de tudo. Por fim, acabam se cansando da vida mesmo. Ficam exaustos.

Nesse contexto é que faz sentido o convite de Jesus: “venham a mim todos os cansados e sobrecarregados”. Isso significa olhar a vida de Jesus e perceber ele não fugiu da morte e também não fugiu da vida. Com isso deu a esperança de que é possível viver com o ânimo de que o bem vencerá afinal e que vale a pena viver. Num mundo em que o mal parece prevalecer em todas as áreas, Jesus é a encarnação do bem, do amor e do ânimo de que este prevalecerá afinal.

 “Venham a mim os cansados e sobrecarregados” é um convite para ter ânimo ao olhar para a vida de Jesus, que também passou dores, sofrimentos terríveis, talvez tenha passado medo, com certeza teve angústia diante da iminência de sua morte, mas ao fim, venceu. Não porque tenha evitado as dores, a morte e tudo o mais, mas porque não fugiu de sua humanidade.

Fazer as pazes com nossa humanidade e enfrentar a vida com tudo o que ela tem de bom e ruim é a única forma de descobrir a vida plena antes da morte.

Anúncios