Márcio Rosa da Silva

Semana passada, neste espaço, publiquei um texto jogando a toalha, desistindo. As reações foram muitas e variadas. Alguns desistindo junto comigo e outros tentando me animar, para que eu não desistisse.

O fato é que eu desisti de algo que não vale a pena, que é tentar agradar a quem nunca está satisfeito. Eu sei, o título é forte, conjugar o verbo desistir implica em ausência de esperança, falta de fé, desânimo, fraqueza talvez. Mas para desistir de algumas coisas é necessário ter muita coragem, fé, ânimo e esperança. Desistir da maldade e da mentira, por exemplo, requer forte determinação. Desistir de ser desonesto, também, requer muita coragem.

Quando você decide caminhar ao lado de Jesus tem que desistir de várias coisas. Desistir da injustiça, do egoísmo, do apego aos bens materiais, da ganância, do ódio. Também é necessário desistir da hipocrisia, aquela velha capacidade que as pessoas têm para aparentar piedade, mas interiormente ser outra coisa. Eu, de minha parte, estou tentando desistir de tudo isso.

Há outras coisas das quais não se pode desistir, pelo contrário, é necessário abraçar, insistir, investir. Não desisto do Evangelho de Jesus Cristo, estou cada vez mais encantado, mais fascinado pela excelência da mensagem cristã. Abracei esta mensagem e bem sei que quem coloca a mão no arado e olha para trás é indigno. Não desisto, quero ir adiante, prosseguindo, descobrindo mais coisas sobre Deus, de quem sei tão pouco, e sobre a fantástica aventura de viver tendo no olhar a esperança de ver o Reino de Deus estabelecido.

Não desisto da igreja, essa comunidade de pessoas que, juntas, servem a Deus e tentam viver inspiradas no modelo e na mensagem de Jesus. Essa que é a multiforme graça de Deus, com tantas formas, tantos rostos, tradições distintas, liturgias diferentes, mas com um elemento central único: a fé em Jesus Cristo. Se tenho dificuldades e dores ao pastorear uma comunidade, a alegria e o contentamento em muito superam os dissabores. É um privilégio anunciar o evangelho e dirigir uma comunidade de fé.

Também não desisto das pessoas. A despeito de o ser humano ser capaz de tantas coisas ruins, de tanta maldade, de machucar um ao outro, ele também é capaz das coisas mais lindas, de bondades quase divinas, de produzir muita alegria e felicidade. Se o ser humano tem a capacidade de destruir e matar, também tem a capacidade de praticar atos que me fazem acreditar que realmente somos feitos à imagem e semelhança de Deus.

Não desisto das pessoas que querem prosseguir comigo rumo ao Reino de Deus e já nessa dimensão humana querem que as virtudes desse Reino sejam estabelecidas na terra. Não desisto de tentar ajudar aqueles que querem conhecer um pouco mais a Deus e desejam caminhar com Ele.

Jesus não desistiu, mas prosseguiu até o fim, sem desanimar, e seu exemplo me enche de esperança.

Não desisto!

Anúncios