Orar é falar com Deus. Falar, conversar, derramar a vida, os anseios, as inquietações, a gratidão, a adoração, o louvor. Ter comunhão íntima com Deus.

Infelizmente a prática da oração deixou de ser uma conversa com Deus, para ser um momento de pedir as coisas. Não só pedir, mas exigir, reivindicar, como muitos fazem.

Qual a sua motivação quando você fala com Deus? Será que você tem orado pedindo a vontade de Deus?

Uma vez, orando por uma pessoa doente, orei da seguinte forma: “Senhor, cura essa pessoa, se essa é a tua vontade!”. Fui repreendido severamente. Foi-me dito que ao dizer “se essa é a tua vontade” eu estava demonstrando dúvida. Segundo tal pessoa, eu teria que decretar, como se Deus tivesse que engolir a minha vontade. Uma oração feita dessa forma é uma inversão de papéis. Não estou buscando a vontade de Deus e sim tentando impor a minha.

Não acredito que seja correto orar pedindo para Deus dar um tratamento privilegiado, em detrimento de outras pessoas. Como exemplo do cara que não estudou nada para um concurso e pede que Deus dê uma forcinha para ele na prova. Isso seria uma tremenda injustiça com quem estudou direitinho.

Outras orações como “Deus, mata fulano”, “arruína a vida do sicrano”, “pese a mão sobre o beltrano”, passam longe da natureza de Reino de Deus e da obra de Jesus Cristo, que veio para salvar e não para destruir.

O segredo para ter as orações respondidas é orar de acordo com a vontade de Deus. Mas como descobri-la?

Podemos descobrir como orar segundo a vontade de Deus orando com Jesus, dando uma olhada nas orações que Jesus fez. Ele certamente orava de acordo com a vontade de Deus. Tanto é que, no momento de maior aflição de sua alma, de maior angústia, ele orou:  “Pai, se queres, afasta de mim este cálice; contudo, não seja feita a minha vontade, mas a tua”. Quando Jesus deu como modelo o “Pai Nosso”, ele pede: “Venha o teu Reino; seja feita a tua vontade, assim na terra como no céu”.

Na oração sacerdotal, momentos antes de sua paixão, Jesus não pediu que os seus discípulos fossem pastores de igrejas enormes, nem que nunca tivessem crises nos seus casamentos, nem que tivessem muitos carros e mansões.

Não pediu que os seus discípulos fossem reconhecidos pelos muitos milagres que operariam, nem que fossem separados do mundo e dos perigos dessa vida ou que não lhes faltasse emprego e que nunca tivessem problemas financeiros. Tampouco pediu que nunca fossem traídos, ou que nunca tivessem perdas, ou que nunca ficassem doentes.

Ele pediu que seus discípulos fossem um e que tivessem comunhão com Deus. Tendo comunhão com Deus cresceriam na fé, tornariam-se maduros e poderiam lidar com os embates da vida.

Pediu que fossem protegidos do Maligno, mesmo no mundo, mesmo sendo enviados como ovelhas no meio de lobos, que não sucumbissem ao maligno mas permanecessem firmes na fé. Que conhecessem uma alegria que não fosse resultante das circunstâncias mas de Sua presença. Pediu que amassem e vivessem a Sua palavra, pois assim seriam santificados.

Essa foi a oração de Jesus. Ela é parecida com as orações que você tem feito??

Orar não é convencer Deus que a nossa vontade é melhor, mas é ter uma comunhão tal com Deus que a nossa vontade seja identificada com a vontade de Deus.

Assim, realmente, tudo o que pedirmos será concedido, porque oraremos conforme a vontade de Deus.

 

Márcio Rosa da Silva

Anúncios