De onde tiraram idéia de que é tudo o que vem com uma roupagem religiosa é bom e verdadeiro? Quem foi que incutiu na mente das pessoas que tudo o que se denomina cristão é verdadeiro e tudo o que se declara evangélico deve ser aceito? Coisa nenhuma. O cristão tem que exercitar a dúvida, tem que aprender a duvidar, ter senso crítico.

Ser crente não é crer em tudo, mas se apegar à verdade e discernir e se afastar do que é falso. Falar sobre se apegar à verdade pode ser muito perigoso, porque pode parecer que estou falando de uma verdade conceitual final e definitiva. E isso não passa de mera pretensão.

Quando falo de se apegar à verdade não estou me referindo a uma teologia específica, porque todas são falhas, posto que humanas. Não há nenhuma teologia capaz de abarcar todo o conhecimento acerca de Deus, seja ela católica, protestante, calvinista, arminianista ou relacional. O conhecimento sobre Deus é inesgotável.

Também não me refiro a uma verdade denominacional. Nenhuma denominação cristã tem verdades institucionais absolutas. Nenhum modelo eclesiástico é perfeito e definitivo. Por melhor e mais funcional que seja o modelo de uma igreja local, ele é apenas um modelo e não uma verdade absoluta.

Eu me refiro a apegar-se à verdade encarnada, ou seja a verdade que é uma pessoa: Jesus. Apegar-se à mensagem de Jesus e refletir nas suas palavras, sem o filtro dos comentários acerca de tais palavras, mas beber direto da fonte do evangelho de Jesus.

Cada vez mais precisamos ser como os crentes de Beréia, que, ao ouvirem a mensagem dos apóstolos, foram para as Escrituras conferir se era aquilo mesmo.

Precisamos provar e ver se o que as pessoas dizem em nome de Deus, vem mesmo de Deus, porque nem todo o que diz “Senhor, Senhor” entrará no Reino dos Céus.

Nem toda “palavra profética” vem de Deus. Aliás, conheço pessoas cujas vidas foram arruinadas por conta de “profecias” fajutas.

Nem toda mensagem pregada por quem se denomina cristão é verdadeira. Definitivamente não se deve crer em tudo o que se ouve de pessoas ou instituições que se denominam cristãs ou evangélicas ou o que for. É preciso discernir.

Uma mensagem que fala sobre cruz, graça, amor, perdão, sobre o Reino de Deus de justiça, paz e alegria no Espírito Santo é uma mensagem que tem os elementos da verdade que Jesus ensinou. Uma mensagem que coloca o ouvinte como um interesseiro que só deve vir para Deus se esse Deus “funcionar” para resolver algum problema é uma mensagem que se afasta de Jesus.

Uma mensagem que prega o serviço ao próximo, como forma de demonstrar amor está de acordo com o que Jesus disse acerca de vestir o nu, saciar o faminto e o sedento, visitar o preso e o doente. Mas uma mensagem que diz que você tem que exigir de Deus tudo o que você merece porque Deus te colocou por cabeça e não por cauda não está nem próximo das  lições de humildade de Jesus. Uma mensagem que prega o desamor, a desunião, a intolerância, o ódio, a superioridade de um grupo de pessoas em detrimento de outro não está de acordo com a mensagem da verdade.

Por essas e por outras que o bom cristão precisa aprender a duvidar.

Márcio Rosa da Silva

Anúncios