Essa pergunta ronda o imaginário do povo cristão há muito tempo. Já disseram que o anticristo era Hitler, o Papa (qual deles?) e também Martinho Lutero. Mais recentemente, já foi dito que o anticristo é o Osama Bin Laden ou o Presidente dos Estados Unidos, qualquer um que esteja lá.

Afinal, quem será o anticristo? Essa pergunta já traz um problema: sempre queremos personalizar o anticristo, reduzí-lo a uma única pessoa. Mas será que temos que personalizar a figura do anticristo? Pode ser que não seja um homem ou uma mulher, mas várias pessoas, talvez uma instituição, talvez uma religião, talvez uma filosofia de vida anticristã. 

João, o apóstolo amado, escreve que o anticristo virá, mas já agora muitos anticristos têm surgido. Sim, há muitos anticristos, mas como identificá-los?

Não quero convocar uma cruzada contra os anticristos. Até porque se sairmos carimbando as pessoas com esse título, ou queimando-os na fogueira, poderíamos incorrer no mesmo erro de quem disse que o Lutero ou o Papa João Paulo II eram, cada um a seu tempo, o anticristo.

Entretanto, temos que buscar discernimento e conhecimento bíblico para identificarmos os anticristos da atualidade e evitá-los. Ouvir o que dizem pode ser desastroso, porque agem baseados no engano e na mentira. É bom lembrar que a palavra grega para anticristo pode ser traduzida como “contra Cristo” ou “no lugar de Cristo”, ou talvez, combinando os dois, “aquele que, assumindo a forma exterior de Cristo, opõe-se a Cristo”.

Então é preciso conhecer bem a Cristo, sua vida e sua mensagem, para poder, então, confrontar e identificar os que se opõem a Cristo. É preciso ter sempre em mente a essência da vida de Jesus, sua humildade de abrir mão da glória celestial para viver como homem numa vida simples e também o amor, mandamento maior do Reino de Deus.

Quem prega que é preciso estar sempre ostentando poder e riqueza, sempre se ufanando dos títulos acadêmicos que tem e desprezando quem tem menos dinheiro ou estudos, está se chocando frontalmente com a mensagem e com a vida de Cristo Jesus, que foi sempre humilde e que considerou a pureza das crianças e a sabedoria dos simples, como as dignas do Reino de Deus. Quem prega isso, é, desse modo, um anticristo. É anticristo quem prega que o Reino de Deus é riqueza, bens, status, poder econômico e político e que quem não tem tais coisas não é abençoado por Deus. Esse é um anticristo, porque a mensagem do Reino de Deus é exatamente oposto, não é comida nem bebida, mas Justiça, Paz e Alegria no Espírito Santo.

Quem quer monopolizar a salvação dizendo-se detentor de poderes especiais, quem se declara “o ungido de Deus”, o “escolhido da última hora”, e que manipula as pessoas, negando-lhes a graça, mas extorquindo-as e abusando de suas vidas, abusando da boa-fé das pessoas, é, nesse sentido, um anticristo, pois nega a mensagem de Jesus, segundo a qual qualquer pessoa pode chegar a Ele sem nenhum intermediário e sem ter que pagar coisa alguma, já que a salvação é de graça.

Quem diz que para ser salvo é necessário pagar um preço, pagar com algum sacrifício ou com algum dinheiro é um anticristo, porque nega a graça de Cristo Jesus, nega o valor do calvário e do sacrifício na cruz.

Tenhamos cuidado, são muitos os anticristos que nos rondam. Precisamos ter discernimento e cuidado.

Márcio Rosa da Silva

Anúncios