Jesus não era bem vindo nos meios religiosos de sua época. Ele dizia umas coisas que pareciam não fazer sentido para a mente dos senhores da verdade e portadores da reta doutrina.

Ele começou dizendo que a aparência exterior e os ritos repetitivos e mecânicos não eram importantes, importava o que se passava no interior da pessoa. Andou dizendo que a vingança devia ser banida e a revanche deveria ser do bem em resposta ao mal, esse seria o revide adequado. Falou que odiar e desprezar um irmão é o mesmo que praticar homicídio. Sem contar que os inimigos deveriam ser amados, tanto quanto os amigos. Falou sobre perdão, misericórdia, justiça. Convidou os cansados e sobrecarregados para virem a ele, pois encontrariam descanso. Quem andasse com ele e abraçasse sua mensagem trocaria um pesado fardo por um caminho leve.

Além de ser um discurso aparentemente sem sentido, era também muito incômodo. Os que sobreviviam do medo religioso imposto ao povo e praticavam tudo o que Jesus condenou, viram seu poder de influência, e por conseqüência, sua própria sobrevivência, em risco. Trataram logo de conspirar pela eliminação daquela presença incômoda. Não demorou muito e assassinaram Jesus, como todo mundo sabe.

Agora, o que me deixa inquieto, é que tenho percebido que muitos ainda consideram Jesus uma presença incômoda. Ou melhor, todos querem a “presença” de Jesus, isso é até buscado, mas o “discurso” de Jesus é evitado ou ignorado. Sua mensagem é considerada dura demais por alguns. Caminhar pelo famoso Sermão da Montanha gera em algumas pessoas a sensação de que se trata de algo impraticável numa sociedade onde prevalecem a competitividade, o materialismo, a ganância, o egoísmo.

É uma mensagem que acaba incomodando. Talvez se Jesus viesse até nós novamente, de maneira visível, e começasse a falar as mesmas coisas, ele seria novamente eliminado. Penso que seria hostilizado até mesmo em muitos ambientes religiosos e pseudo-cristãos.

Não seria a mensagem de Jesus pesada demais? Vamos refletir juntos. Será que amar o próximo como a si mesmo é pesado? Não, é leve. Pesado é carregar ódio no coração que, em vez de destruir o outro, acaba destruindo a própria pessoa. Será que é pesado perdoar ilimitadamente? Não, é leve. Pesado é ser dominado por mágoas e rancores, que transforma a pessoa num poço de amargura. Pesada é a vingança que tantas guerras tem provocado, numa violência e derramamento de sangue sem fim. Pesada é uma vida em que se está preso a ritos e sacrifícios que tentam agradar a um deus pagão e insaciável. Andar com Jesus é leve, pois com ele se aprende o que é graça e misericórdia, e como é viver ao lado de um Deus amoroso e bom.

Se esta mensagem incomoda, então é hora de se arrepender e crer no evangelho, por que o Reino de Deus está próximo!

Anúncios