A vida acontece em família, em grupos, seja uma família biológica ou não. É terrível saber, por exemplo, que nos Estados Unidos, 20% das pessoas vivem completamente sozinhas, sem amigos ou família. Precisamos de pessoas e de família. Fomos feitos para viver e conviver com outras pessoas. Como diz o escritor cristão Ed René Kivitz: “Pessoas precisam de Deus, pessoas precisam de pessoas”.

Percebo que grande parte dos problemas das pessoas começa na família, ou pela falta dela. Então aqui vão algumas reflexões que poderão servir de ajuda para lidar com as questões familiares.

Não queira ter uma família perfeita, porque famílias perfeitas não existem. Existem famílias felizes, mas não perfeitas. Uma família só tem a chance de ser feliz quando reconhece suas limitações, seus problemas, seus desajustes e suas imperfeições. Famílias mencionadas no texto bíblico tinham muitos problemas. Na família de Adão e Eva houve um fratricídio, a família de Abraão e Sarah teve sérios problemas, envolvendo até conspiração e mentiras, a irmã de Moisés o recriminava por ele ter-se casado com uma negra, Davi teve problemas de fidelidade conjugal e seus filhos eram muito problemáticos (um deles quis lhe tomar o trono de Israel). Até na família de Jesus havia problemas, sua mãe e seus irmãos, em determinado momento, queriam interferir na agende dEle.

Pessoas há que vivem culpadas porque sua família tem problemas. Olhe para o texto bíblico, que não esconde as fraquezas de seus personagens, e você se sentirá confortado. Você não está só.

Não espere que fórmulas prontas resolvam problemas familiares. Cada pessoa é um mundo, um universo. As pessoas são diferentes e reagem de modo diferente. Você já deve ter conhecido alguma uma família que deu a mesma criação a todos os filhos, mas um filho tem um comportamento e o outro age de modo diverso. Assim o que deu certo em outras famílias pode te ajudar a achar o caminho que deverá ser trilhado para sua família. Mas não é receita de bolo.

Edificar uma família dá trabalho, esteja disposto para tal tarefa. Nós vivemos a cultura do fast-food, tudo rápido, tudo pra ontem, queremos algo que funcione rapidamente. Queremos que um casamento que vem se deteriorando há vinte anos, seja completamente “consertado” em três dias de um encontro. Leva tempo resolver conflitos e problemas. Estes podem se resolver, mas leva tempo e muita disposição. Não há mágica. É preciso trabalhar aos poucos e com constância.

Invista tempo em família. Uma família unida procura construir um relacionamento em que as pessoas conversam entre si, os pais brincam com os filhos, há caminhadas de mãos dadas. Os membros de uma família feliz sabem apreciar um ao outro e compartilham pequenas tradições familiares, como o almoço à mesa (não em frente à televisão, onde não interação entre as pessoas), os aniversários, os demais dias festivos. Isso tudo é importante.

Não transfira para os outros uma responsabilidade que é da família, compartilhar a fé e os valores para que os filhos sejam cidadãos de bem e bons cristãos. Escola, igreja, professores, pastores, avós, podem auxiliar nessa tarefa, mas a responsabilidade é da família.

Aprenda a viver relacionamentos familiares na dimensão da graça. É preciso aprender a viver na dimensão da graça em todos os níveis, em especial na família. É preciso contemplar o exemplo de Deus e aprender a amar incondicionalmente, perdoar, compreender, crer que um recomeço é sempre possível, rir dos próprios erros e imaturidades. Viver na dimensão da graça proporciona até um diálogo mais sincero e livre.

Fazendo isso, talvez descubramos a lidar com a dor e a saborear a doçura de viver em família.

Anúncios